Reivindicações e Proposições dos Gestores Municipais de Cultura, por Marcos Cordiolli

Reivindicações e Proposições dos Gestores Municipais de Cultura, por @MarcosCordiolli

PúblicoAmigosAmigos, exceto conhecidosSomente euPersonalizadoMelhores AmigosMaringáVer todas as listas…FamíliaANCINE _ Agência Nacional do CinemaGoverno FruetArtistasCordioliRio de JaneiroCinemaPaulaAlunosEducaçãoAncineFamíliaImprensaCol Santo InácioParceirosMilitância da CulturaUniversidade Tuiuti do Paraná – UTPUniversidade PositivoUniBrasil Centro UniversitárioANCINE – Agência Nacional do CinemaFundação Cultural de CuritibaCuritibaUniversidade Tuiuti do ParanáUniversidade PositivoUnibrasilCâmara dos Deputados do BrasilConhecidosVoltar

Na abertura do Encontro Nacional do Gestores Municipais de Cultura, em Brasília, em 02 de Dezembro de 2014, realizado pelaAssociação Brasileira de Munícipios (ABM) e o Ministério da Cultura, diante daSra. Ministra da Cultura, Ana Cristina Wanzeler, apresentei a seguintes pautas de reivindicações e proposições.

Reivindicações:

Impulsionar ação política para aprovação da PEC que fixa os patamares orçamentários da cultura em 2% para a União, 1,5% para os governos estaduais e 1,0% para os municípios.

Implantar os repasses fundo­ a ­fundo, entre o Fundo Nacional de Cultura e os fundos estaduais para os municipais como estabelecem o Projetos de Lei do ProCultura e da Lei de Regulamentação do SNC.

Organizar e consolidar parcerias e consórcios regionais, em especial entre pequenos e médios municípios na área da cultura, como forma de viabilizar o sustento de ações e equipamentos culturais.

Avançar na autonomia financeira e orçamentária das secretarias, departamentos e fundações municipais de cultura.

Ampliar a democratização, a equidade e a isonomia na distribuição dos recursos próprios da MinC, do Fundo Nacional de Cultura, daLei Rouanet, da Lei do Audiovisual e do Fundo Setorial do Audiovisual.

Garantir, neste processo de transição, que os municípios que implementaram adequadamente o Sistema Municipal de Cultura, não fiquem na dependência da regularização dos Sistemas Estaduais para acessar recursos e serviços do MinC.

Proposições:

Formular e propor um novo ordenamento jurídico para os orçamentos e execuções financeiras da cultura, garantindo instrumentos adequados à natureza das ações e das política de cultura, sem flexibilizar os mecanismos de controle e transparência na utilização dos recursos, mas alterando a Lei 8666/93, e estabelecendo novas orientações para os tribunais de contas.

Construir uma representação nacional dos Secretários eGestores Municipais de Cultura para garantir representatividade e força política para a defesa das políticas municipais de cultura.

Estabelecimento do pacto republicano entre as atribuições municipais, estaduais e federal, definindo as atribuições de cada ente,superando as sobreposições das ações e lacunas de ação pública nas políticas culturais.

Marcos Cordiolli, Secretário Municipal de Cultura de Curitiba e Presidente do Fórum de Secretários de Cultura das Capitais e Regiões Metropolitanas.

6dfaf27b9d7c91740398714291e56e0255abb014.png

Anúncios

Sobre Marcos Cordiolli
Marcos Cordiolli é graduado em História (UFPr, 1988) e mestre em Educação: história e filosofia da educação (PUC-SP, 1997). É professor universitário de graduação (desde 1994), de especialização latu senso (em mais 20 IES); de mestrado (em uma IES); atua na qualificação docente (desde 1994 e prestou serviços para mais 50 redes públicas e dezenas de escolas particulares em 18 estados); É consultor em gestão do trabalho pedagógico e proposições curriculares na Educação Básica (com serviços prestados para dezenas de instituições) e Superior (com trabalhos prestados para mais de 20 IES); É palestrante e conferencista (atuou em mais 300 eventos); consultor técnico de publicações didáticas (prestou serviços para mais de uma dezena de editoras) e de sistemas de ensino (prestou serviços para a maioria dos grandes empresas do país); É consultor pedagógico na área de Educação Corporativa (prestou serviços para empresas na área de refino de petróleo e montadoras automotivas). Publicou artigos, livros e materiais didáticos (na área de história, filosofia e geografia para Ensino Fundamental e Médio; teoria curricular e políticas educacionais para a Educação Superior). É cineasta. Produtor Associado do filme O Sal da Terra (Brasil, 2008) de Eloi Pires Ferreira. Diretor de Produção (com Elói Pires Ferreira) de Conexão Japão (Brasil, 2008) de Talício Sirino. Produtor Executivo de Curitiba Zero Grau (Tigre Filmes e Labo). Foi assessor técnico da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados (2010). Foi Consultor ad hoc da relatoria do Plano Nacional de Educação na Câmara dos Deputados Foi assessor da diretoria da Agência Nacional do Cinema – Ancine. É Secretário de Cultura da Cidade de Curitiba na condição de Presidente da Fundação Cultural de Curitiba. É presidente do Fórum dos Gestores Municipais de Cultura das Cidades com mais de 500 mil habitantes. É autor de Currículo Escolar: Teorias & Práticas (Editora Melo) É autor de Sistema de ensino e políticas educacionais (Editora IBPEX) Contato: email: marcos.cordiolli@gmail.com fone: +55 (41) 3213-7506 Veja mais: Acompanhe as minhas atividades no Twitter: @MarcosCordiolli Visite o meu currículo na Plataforma Lattes do CNPq Conheça a minha página no Facebook

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: